Eu...Familia. Amigos, todos.

17
Set 14

 

"Quando se quer arranjam-se maneiras e formas de resolver o que é complicado. Move-se o mundo. Revira-se a vida. Não há tempo que seja curto ou vontade que não exista. Não há distância, não há horas nem cansaço. Inventam-se soluções e contornam-se obstáculos. Quando se quer. Quando se não quer, arranjam-se desculpas." Rita Leston

 

Admito, às vezes sabe me bem arranjar desculpas, às vezes martirizo-me por ter arranjado desculpas e às vezes não sei gerir muito bem a palavra "desculpas".

Mas tambêm é verdade que quando eu quero uma coisa, movo montanhas!

 

publicado por todosdias às 23:39

16
Set 14

Não era difícil de adivinhar o que ia acontecer, à semelhança do que me aconteceu aqui e aqui, o meu marido foi e voltou, tornou a ir e tornou a voltar.

No domingo organizamos tudo na pen, desta vez tudo direitinho por pastas ano e mês.

Foi uma "fulana" que o atendeu: "não aceito pen, pode ter vírus! Têm uma hora para ir imprimir os comprovativos todos que têm na pen...What???? Um stress, 24 meses de desemprego, imprimir pelo menos 4 de cada mês = 96 impressões.Uma merddd de computador que encrava a abrir ficheiros "pdf", uma impressora quase sem tinteiro. Gastar dinheiro em ir imprimir, no mínimo 30€ = 3 dias de refeições para os três, estes gajos devem estar loucos!!! Ainda gozam com os pobres!!!

Isto é viver em sociedade ou eu é que estou a ficar maluca???

A "fulana" quando viu o molho de folhas, não teve coragem e rubricou todas uma a uma. E ainda teve o desplante de perguntar porque é que ele se candidatava a empregos fora da sua experiência profissional.

 

"Exmª Srª "fulana"o pobre quando precisa de um emprego para dar de comer à família, sujeita-se a tudo. O importante não é estar feliz por termos um emprego que gostamos  e sim agradecer pela oportunidade de estarmos a aprender e a crescer; o importante é poder pôr comida na mesa e sim agradecer sermos uma família fantástica. Sabe ExªSrª "fulana" cá em casa fazemos tudo não temos medo de aprender, nem nos falta coragem...o amor que nos une aos três é o mais importante que temos na vida!"

 

...só me apetece é dizer palavrões!

 

 

publicado por todosdias às 21:34

"Esqueces os dias em que parece que nada faz sentido. Esqueces as vezes em que as grandes mudanças são precedidas de caos. Esqueces que continuas a iludir-te com os outros e a confiar de peito aberto. Esqueces que a lei do retorno funciona. Sempre.

Esqueces que estás longe de quem muito amas, que não tens certezas e que nada é garantido. Esqueces que não sabes, que podes demorar para saber, que o dia ainda vem longe e que nem sempre quem espera alcança. Esqueces que a vida às vezes (muitas vezes) nos troca as voltas, que quando menos esperas te dá nós cegos, que o tempo que tanto pedes te escapa entre os dedos e que (muitas vezes) esse tempo não passa de uma grande armadilha. Esqueces o que mais queres, o que menos queres, o que podes, o que tens, o que mereces, o que te prometem, o que dás.
Esqueces tudo, e esqueces serenamente, quando te lembras que o mais importante da vida já tens. É teu. Tão teu. Só teu.
E quanto a isso, nem crise, nem medos, nem dúvidas, nem preocupações, nem incertezas, nem distância, nem saudade, nem apertos no peito, nem nada nesta vida te pode tirar. Nada.E é desta certeza inabalável que são feitos os teus dias. Os de hoje. E os de amanhã" autor desconhecido

 

Estas palavras encontraram-me. Uma espécie de mantra e muito mais...para os meus dias de hoje e de amanhâ. E é assim mesmo!

publicado por todosdias às 10:00

15
Set 14

 

#nóstrês

A praia acabou, a vinda da chuva não nos deixou com nostalgia dos dias estarem bons e estarmos a faltar à "nossa" praia. Como o Outono este ano já começou a dar o ar da sua graça, começámos a prepararmos-nos para o receber de braços abertos, antecipamos umas comprinhas, cortamos o cabelo e organizamos/arrumamos algumas coisas cá em casa.

Ainda ouve tempo para uma escapadinha à aldeia, à semelhança dos quatro dias que lá passámos em Agosto. Deitámos mãos à obra e andamos em limpeza, deitamos fora muito "lixo" que era do tempo do meu avô e que em quinze anos nunca ninguém mexeu, gostei muito do resultado final e ideias não faltam para aquele espaço que agora ficou livre (haja tempo, porque os gastos que prevemos são muito poucos). Temos que pouco a pouco ocupar a casa, não a podemos abandonar se não corremos o risco de a perdermos. É um sitio fantástico para escapadinhas. E o trabalho que já fizemos nestes últimos dois anos têm tornado a casa e o espaço envolvente aos poucos muito mais acolhedor.

Apesar de tudo foram quinze dias a três também um pouco embirrentos, a realidade é que desde que ela entrou de férias estamos os três juntos à três meses/24h por dia, andamos sem paciência uns para os outros, mas a verdade é que temos os três consciência disso, compreendemos os motivos e conseguimos aceitar e tentar ultrapassar graças ao espírito de equipa que temos. Amor e amizade a três, acima de tudo e de todos.

 

#ela

Regresso à escola preparado, material escolar, manuais, novo horários, nova turma. Embora tenhamos estado sempre ocupados, graça a Deus, a verdade é que muitos dos dias desta primeira quinzena ela passou aqui fechada em casa. TV, PC, e não se entretêm com mais nada...estava desejosa que ela voltasse à escola, não é saudável estar tantas horas fechada no quarto.

Hoje já teve a primeira manhã de aulas, eu estava apreenssiva e sei que ela também. Esteve três anos com a mesma turma, os mesmos colegas, as coisas não foram fáceis e a turma era complicada. Este ano não conhece ninguém, não têm nenhum colega antigo. Vi as coisas pela positiva, a oportunidade de ela fechar uma porta e abrir uma nova com coisas novas, amigos novos, experiências novas. Sei que uma manhã, não é nada para avaliar como vai ser este ano lectivo, mas o feedback que me deu hoje à hora do almoço foi positivo. Espero não estar enganada mas acredito que este ano vai ser muito bom para ela.

 

#ele

Foi chamado ao IEFP, para duas situações. Uma para comprovar que nestes dois anos tem feito a procura ativa de emprego, já organizamos tudo e está a jeito para ele lá ir. Outra era para um programa CEI, semelhante ao que eu fiz na biblioteca, se por um lado é horrível estarmos a trabalhar pela simbólica quantia de oitenta euros/mês, por outro lado é uma maneira de nos sentirmos ativos, no entanto e embora tenham gostado dele não vai ser chamado porque o fundo de desemprego acaba em Dezembro e o contrato era por seis meses. 

Anda intolerante, irritante, e eu sem paciência para o aturar. Tento controlar este meu estado, tento não dizer algumas coisas que tenho consciência que não iam ser saudáveis e que poderiam deitar a perder tudo o que construímos juntos, e que é tão bom. Nós não merecemos, ele é um amigo fantástico, o meu apoio, o meu porto de abrigo e sei bem o que está a passar. O ano passado sei bem que a situação era pior, estavamos os dois desempregados. Já se passaram dois anos e ele continua em casa, emprego não aparece e nem sabemos se vai aparecer, temo pela sua saúde mental, têm sido um bravo sem nunca perder a calma, mas sei que está a sofrer e não sei por quanto tempo mais ele vai aguentar. Não sei como o posso ajudar, para já tento dar-lhe apoio, saber que pode contar comigo acho que é muito importante. Esforço-me por manter o lado do nosso relacionamento o mais saudável possível. Neste desespero que têm sido as nossas vidas, nestes ultimos três anos, temos aproveitado o tempo que temos juntos, mesmo só nós dois, para garantir que continua a valer a pena e que é tão bom. É este sentir que é importante, o apoio e força que damos um ao outro, e na energia maior que somamos a este querer conjunto, que reside toda a força anímica de um amor que resiste e existe para além do tempo e do espaço que dedicamos a nós e só a nós. Este é o nosso caminho, juntos. E que lado a lado, de mãos dadas, nesta força somada, com cumplicidade alcançamos a nossa paz e alegria...e que é tão bom.

 

#eu

Voltei ao trabalho, ainda em modo suave, porque vai apertar e com força lá mais para a frente. No entanto já ouve alguns stress, alguns nervosismos, mas que consegui esclarecer. Não foi fácil, principalmente porque eu sou uma pessoa muito tolerante e às vezes fico a contar com as atitudes e honestidade dos outros. Mas aprendi que os outros não são como eu, e que dizer não é uma prioridade que às vezes temos que dar às nossas vidas se queremos prosseguir tranquilos e em paz. Tudo indica que o projeto vai continuar e que em Janeiro não regresso ao estatuto de desempregada novamente. Está previsto mais um ano, e eu vou aceitar. Vou tentar não sofrer tanto com as viagens, é a única parte deste meu projeto que eu não gosto e que me faz mal, que me deixa nervosa e doente, ir para tão longe sozinha é muito duro (Angola não fica ao virar da esquina). Vou tentar interiorizar que o negativo das viagens será compensado com o positivo de alguma paz financeira, que nos permite aos três dormir melhor. Não me posso queixar, estou a trabalhar em casa, faço quase sempre a gestão do meu tempo, estou a receber um salário (baixo face às exigências do projeto, tenho consciência que um consultor ganharia o dobro daquilo que eu ganho mas face às oportunidades que existem neste momento não tenho muitas alternativas, era isto ou zero de rendimentos), estou e aprender e a enriquecer o meu curriculum.

Voltámos às caminhadas, cortei na alimentação (quatro kilos a menos, yeaahhh), tirei os medicamentos que me faziam sentir bem psicologicamente, mas que fisicamente me fizeram inchar de tal maneira que parecia uma lontra. Continuo apenas com um medicamento à noite (metade), para me ajudar a sentir um pouco mais tranquila, só falta coragem para o retirar de vez.

Continuo é com esta maldita ansiedade. Teima em não passar, quando paro um pouco para rever mentalmente esta minha ansiedade, sei exatamente o quê, quais a causas e quais as consequências. Na maior parte dos casos, não deixo que isso transpareça, mas sinto-o. É como uma moinha que se apodera do meu pensamento, um aperto no peito, até eu ter a capacidade de a ignorar ou, na maior parte das vezes, de aceitar. Tem sido uma luta diária nestes últimos tempos e tenho muita dificuldade em lidar com ela. Tenho imensos diálogos interiores, peso prós e contras, balanço a razão e o coração, tento meditar, experimento enumeras técnicas e tento numa misturada arranjar alguma que me ajude. Às vezes consigo ou talvez não, e seja apenas um sentir um pouco mais tranquilo momentaneamaente, mas há alturas em que todas estas estratégias são claramente insuficientes. Está a ser muito cansativo e doloroso esta minha luta contra a ansiedade, está a consumir-me lentamente e ainda não encontrei a formula para a vencer, mas não vou desistir, vou encontrar em mim o equilibrio...isso é certo.

 

Grata, por partilharmos sempre tudo a três.

publicado por todosdias às 16:54

03
Set 14

"Sempre que você pensar alguma coisa de outra pessoa, observe. Não tenha pressa. Primeiro, olhe para dentro de si. A causa pode estar lá." Osho 

publicado por todosdias às 23:23
tags:

02
Set 14

 

 

"Com uvas pão e vinho já podes andar caminho"

Provérbio popular

publicado por todosdias às 22:29

...e crio uma vida de paz, amor, alegria e realização"

 

[...] não pode perder tempo com pensamentos ou emoções negativas, pois eles apenas criam aquilo que diz não desejar. Se estiver a fazer afirmações positivas sem alcançar o resultado que pretende, verifique com que frequência durante o dia diz para alguém ou para si mesmo que se sente mal, irritado, aborrecido. São essas as emoções que provavelmente estão a causar frustração, atrasando a concretização de afirmações positivas e bloqueando o fluxo natural da prosperidade. Na próxima vez em que perceber que está stressado, pergunte-se o que está lhe está a causar medo. "Stress" é apenas medo, só isso. Não precisa ter medo da vida nem das suas próprias emoções. Descubra o que está faz consigo mesmo para criar esse medo. O objetivo interno é alegria, harmonia e paz. Harmonia é estarmos em paz com nós mesmos; é impossível ter "stress" e harmonia interior ao mesmo tempo. Quando se está em paz, faz-se uma coisa de cada vez e sabe-se lidar melhor com os acontecimentos externos. Por isso, quando sentir stress, faça algo para se livrar do medo: respire profundamente ou faça uma caminhada. Afirme: “Sou o único poder no meu mundo e crio uma vida de paz, amor, alegria e realização.” A prosperidade será sempre criada a partir da alegria e com alegria. [...] Louise L. Hay

 

Adorei a definição. E é assim mesmo!

publicado por todosdias às 19:10

01
Set 14

Helloo darling 🙈🙉💃💋

"A vida é grande e nós podemos ser tão grandes quanto ela. Um dia de cada vez"

 

Em setembro:

- volto ao trabalho

- recomeçam as aulas, explicações e as danças da minha filha

- levantar (máximo até) 8h

- retomar as caminhadas diárias (mínimo 5k/dia)

- arrumar gavetas/armários e móveis

- preparar as limpeza de outono

- reciclar/dar/deitar fora coisas que já não fazem falta

- continuar a alimentação de forma mais saudável e equilibrada

- recuperar o peso ganho por causa da medicação

- acabar com a medicação

- continuar a meditação diariamente

- organizar as "listas" para o novo ano que começa agora em setembro

- aniversário da minha irmã e do meu sobrinho.

 

 

... e que venham as surpresas do mês. Feliz setembro!

publicado por todosdias às 23:36

 "todososdias"

"Quando abrimos a mão, nela cabe todo o universo. Confie..." Monja Coen

 

Para começar o setembro com o pé direito e com as mãos bem abertas.

 

Já se vai tornando um hábito com a chegada de Setembro que um "ano novo" agora começa. Foi em setembro de outros anos que mudei de trabalho, que fiquei em casa, que ficámos os dois em casa, que surgiu este meu novo trabalho. Olhando para trás setembro têm sido um fechar de ciclos e um recomeçar de outros. Setembro é renovação e este não vai ser exceção. Por isso sigo em frente com muita esperança e muita fé, mesmo sabendo que nem sempre foi, é ou será perfeito. Grata á vida pelas coisas boas e também pelas menos boas que me fizeram crescer e valorizar todas as outras.
Seguir em frente todos os dias, com uma família que amo incondicionalmente. Querido setembro traz-nos aos três coisas boas, confiando no universo e com a certeza de melhores dias. E é assim mesmo!
publicado por todosdias às 15:01

31
Ago 14

Existem apenas dois dias no ano em que nada jamais poderá ser feito para te conduzir na direção da vida próspera, plena e repleta de bênçãos que você quer viver: o ontem e o amanhã. 
Na época em que morei na China conheci um mestre que dizia que o presente não faz parte do tempo, e sim da eternidade. No momento presente sempre existe esperança. No momento presente ainda existe vida para ser vivida. No momento presente todas as possibilidades existem. No momento presente é que reside, eternamente, a oportunidade de sermos felizes.
Ontem e amanhã são as maiores ilusões que existem. Ontem e amanhã não são reais. Não importa o que foi do seu ontem e nem se o amanhã vai chegar ou não: é no hoje que temos a oportunidade de transformarmos o mundo em algo mais brilhante e amoroso, é hoje que moram todos os riscos que precisamos correr para sermos as pessoas que queremos ser e viver a vida que queremos viver.
Só por hoje, sem ontem e nem amanhã. O que você quer ser, no dia de hoje? Flávia Melissa

 

Estas palavras encontraram-me, uma espécie de mantra para aplicar no novo mês que se avizinha.

Vivendo o momento! E é assim mesmo!

 

 

 


Setembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


subscrever feeds
Conta Todos
mais sobre mim
Vasculhar nos dias
 
favoritos

...

Direitos de Autor
Todas as fotos/imagens que tenham "todososdias" são minhas. Todas as outras, são retiradas da net
Preserverança
" Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir. Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas. Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo. " Ana Jacomo
Recortes_Sapo_Out12
recortes_Sapo_Jul14
recortes_sapo_ago14
blogs SAPO