Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Bolo de maçã e nozes

todosdias, em 21.11.22

Bolo.jpg

Desde que começou o outono que todas as semanas ligar o forno para os jantares de sábado são pretexto para incluir um bolo. Desta vez uma reportagem na televisão sobre o bolo de maçã de Alcobaça, foi o mote para o bolo deste fim de semana. Uma pequena pesquisa nos meus livros de receitas, e voilá!, um bolo simples e ligeiramente denso, mas com uma combinação perfeita das nozes no interior com a maçã por cima.

Ingredientes:

220 g de farinha; 1 colher de chá de fermento em pó; 100 g de manteiga; 100 g de açúcar amarelo; 4 ovos; 2 cl. sopa de leite; 1 Maça e nozes q.b.

Preparação:

Bater muito bem a manteiga amolecida com o açúcar até ficar um creme macio. Juntar os ovos, um a um, adicionar a farinha e o leite. Por fim envolver com nozes grosseiramente partidas. Cortar a maçã em fatias e colocar por cima do bolo.

Vai ao forno em forma untada, durante apx. 45 minutos.

Quando o bolo arrefecer polvilhar com açúcar em pó.

Minha nota 1: esta receita é muito versátil porque podemos substituir as nozes por outros frutos secos que tenhamos em casa, canela, baunilha ou até mesmo simples.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Boeuf Bourguignon

todosdias, em 11.10.22

1.jpg

A maior parte das refeições ao fim-de-semana são planeadas com antecedência, tento fugir às refeições rápidas e mimar-nos com pratos reconfortantes, o fim-de-semana passado não foi exceção e da minha cozinha saiu uma massa de peixe, umas coxinhas de frango no forno, um bolo de iogurte e as tradicionais fogaças de Alcochete, para aproveitar o forno e ter sempre um docinho (para o pecado da gula que nos ataca durante a semana). O problema era o almoço de domingo, e das sugestões que fomos tendo nada nos apetecia.

Tenho sempre em casa um pedaço de carne inteiro, que habitualmente faço assado ou estufado, que me permite fazer mais do que uma refeição e que acompanho com arroz, batatas ou legumes. A vantagem do pedaço inteiro é que se quero fazer por exemplo um goulash, basta cortar em pedaços pequenos. Apetecia-me fugir dos tradicionais temperos que costumo usar e fazer algo diferente para almoço de domingo. Fui tentar encontrar inspiração no meu velhinho livro de receitas “Caceroles & Cassoulets” e… voilá! … o “boeuf bourguignon” um ensopado de carne com vinho, cebola, cogumelos e bacon, um clássico francês, muito embora tenha uma preparação um pouco demorada é ideal para um almoço de domingo que me permite adiantar em simultâneo outras refeições para o longo da semana, já que fica apx. 1 hora a cozinhar lentamente.

Ingredientes: 

Carne de vaca cortada em cubos (usei um pedaço que tinha em casa com apx. 1kg); 1 cenoura e 1 cebola cortados em pedaços pequenos; 1 dente de alho laminadoVinho tinto e vinho do porto; 1 ramo de tomilho; 100g de bacon cortado em cubos; 2 colheres de sopa de polpa de tomate; 2 colheres de sopa de farinha; 200g de cogumelos frescos cortados em quartos; caldo de carne q.b.; azeite q.b.; 1 folha de louro; salsa; sal e pimenta q.b.

Preparação

Coloca-se a carne dentro de uma taça com os legumes cortados, o alho laminado, um raminho de tomilho, sal e pimenta q.b. e rega-se com o vinho tinto e o vinho do porto. Vai a marinar pelo menos durante 3 horas (o ideal é fazer-se a marinada no dia anterior). Assim que estiver marinada, escorre-se com ajuda de um coador.

Coloca-se um fio de azeite numa panela e adiciona-se o bacon, , quando estiver frito, retira-se e adiciona-se á panela a carne, previamente seca com papel absorvente, deixa-se fritar um pouco e retira-se. Na mesma panela coloca-se os legumes da marinada bem escorridos, junto com 1 folha de louro e um fio de azeite. Tapa-se e deixa-se cozinhar lentamente.

Assim que os legumes estiverem prontos, adiciona-se os cogumelos cortados, as 2 c. sopa de polpa de tomate e a farinha. Junta-se a carne e o bacon, a marinada e o caldo de carne, o suficiente para tapar a carne. Retificam-se os temperos. Deixa-se cozinhar durante aproximadamente 1h30m, em lume brando, até a carne ficar bem macia.

Acompanhei com puré de batata e salsa picada por cima da carne, mas também deve ficar muito bom com batatinhas cozidas.

2.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


tão isto, que podia ser sobre mim*

todosdias, em 28.10.21

baking.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cataplana de tamboril

todosdias, em 12.10.21

cataplana.jpg

Para fugir ao tradicional peixe assado aos almoços de sábado, resolvi fazer uma cataplana. Tenho uma que comprei na minha lua de mel, sim porque quando me casei não íamos para o estrangeiro, ficámos por Tavira e já foi um luxo. A minha não é apenas uma peça decorativa, é de cobre feita por um mestre de trabalhar o cobre, foi uma peça cara que compensou bem o investimento inicial. Utilizo muitas vezes para confencionar vários pratos: caldeiradas, carne de porco com ameijoas, etc. ficam sempre com um sabor diferente.

Ingredientes

 1 folha de louro; 1 ramo de coentros; 2 cebolas; 2 dentes de alho; 1c. sopa polpa de tomate; 1 tomate pelado; 1 cenoura; pimento; coentros; vinho branco; azeite; colorau; piripiri e sal q.b.

Camarão cru; lombos de tamboril; ameijoas; batatas

Preparação

Descascam-se os camarões crus e reservam-se.

Para o caldo: num tacho com azeite refogar as cabeças e as cascas dos camarões, de seguida, adicionar 1 cebola picada e uma cenoura cortada em pedaços, um dente de alho esmagado e 1 ramo de coentros, o vinho branco, 1 colher de sopa de polpa de tomate e sal. Cobrir com água fria, e deixar cozinhar em lume brando, durante apx. 25 minutos.

Corta-se as batatas e uma cebola às rodelas, o pimento em tiras, o tomate aos cubos.

Numa cataplana colocar as amêijoas no fundo, depois o tamboril, as batatas, cobrir com os legumes cortados e o camarão descascado. Regar com o caldo que foi previamente coado. Temperar com colorau, piripiri, sal e um fio de azeite. Terminar com coentros picados. Fechar a cataplana e deixar cozinhar.

Minha nota 1: fiz com tamboril, camarão e ameijoas, mas pode ser feito com qualquer outro tipo de peixe e/ou marisco a gosto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Queques de manteiga (com noz)

todosdias, em 04.10.21

cokie.jpg

"todososdias"

Resumir o primeiro fim de semana de outubro, é um voltar ás rotinas que no ultimo ano e meio foram alteradas mais de uma dúzia de vezes. Roupa, casa, limpezas, compras, arrumações voltaram a concentra-se no fim de semana. No entanto, ainda ouve tempo para fazer a revisão do projeto dela, uma sesta (para recuperar os últimos quinze dias muito mal dormidos) e um filme no conforto do meu sofá.

Claro que não faltou a cozinha… essa é uma rotina obrigatória. O forno ligado é sempre desculpa para fazer um doce, nem que seja um simples bolo de iogurte. Para além de minimizar os ataques ao armário das bolachas são muito menos calóricos porque eu reduzo sempre o açúcar e a manteiga das receitas originais, as quantidades que coloco aqui são sempre com os meus ajustes, testados e comprovados… não sobrou nem um!

Ingredientes:

250 g de farinha; 1 colher de chá de fermento em pó; 150 g de manteiga; 150 g de açúcar; 2 ovos; 75 ml de leite

Preparação:

Numa taça misturar a farinha e o fermento. Reservar. Bater muito bem a manteiga amolecida com o açúcar até ficar um creme macio e esbranquiçado. Juntar os ovos, um a um, e envolver um terço da mistura de farinha, à mão, depois envolver um terço do leite e repetir, alternadamente, até esgotar os dois ingredientes. Por fim envolver as nozes.

Vai ao forno em forminhas untadas, durante apx. 15 minutos.

Minha nota 1: desta vez não untei as formas, coloquei em formas de papel canelado e para ficarem direitinhos coloquei dentro das formas de alumínio, mais fácil de desenformar e menos trabalho a lavar as formas.

Minha nota 2: esta receita é muito versátil porque podemos substituir as nozes por outros frutos secos que tenhamos em casa, canela, baunilha ou até mesmo simples. Costumo também fazer com maçã (cortada em pedacinhos pequenos) … ficam mais húmidos e permite reduzir mais um pouco na quantidade de açúcar…hammmm!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Arroz de Carqueja

todosdias, em 17.11.20

arroz.jpg

 "todososdias"

A única escapadinha deste ano serviu de mote para o nosso almoço deste domingo, no regresso almoçámos num restaurante à beira da estrada, daqueles que enchem ao fim de semana com famílias inteiras. Acolhedor, muito bem servidos e a comida muito reconfortante. Comi arroz de carqueja com entrecosto e enchidos, estava tão bom que tentei absorver todos os pormenores para depois poder replicar em casa. Nessa mesma semana a carqueja entrou lá em casa e acabou por ficar esquecida desde março, no meio dos meus frascos de ervas da despensa.

O arroz de carqueja é um prato típico da gastronomia portuguesa, sendo uma especialidade na região da Beira Baixa. Após varias pesquisas de receitas, não fiz com o tradicional frango do campo, nem com coelho mas sim com entrecosto tal como me foi servido no restaurante. Fica, igualmente, uma delícia.

 

Ingredientes:

Entrecosto de porco em pedaços, Chouriço mouro, Arroz, Cebola, Alho, Vinho tinto, Azeite Sal, pimenta, colorau q.b.

Chá de carqueja

Preparação:

Faz-se uma marinada, na véspera, com o entrecosto, vinho tinto, dentes de alho cortados às rodelas, uma pitada de sal, pimenta, colorau e 1 folha de louro.

No próprio dia, faz-se uma infusão dos ramos de carqueja em um litro de água a ferver e deixa-se repousar cerca de 1 hora minutos.

Num tacho, refoga-se uma cebola picada, dois dentes de alho picados, uma folha de louro e um fio de azeite. Acrescenta-se o entrecosto e envolve-se no refogado, deixa-se a carne selar de ambos os lados, virando-a. Quando a carne estiver douradinha, vai-se acrescentando aos poucos o molho da marinada, previamente coado. Baixa-se o lume, tapa-se e deixa-se cozinhar lentamente, até a carne ficar macia.

Num outro tacho, faz-se um novo refogado com cebola picada e azeite. Junta-se ¼ do chouriço mouro desfeito em pedaços, previamente cozido, envolve-se durante um a dois minutos. Seguidamente junta-se o arroz e o entrecosto, deixa-se cozinhar um pouco e acrescenta-se o caldo de infusão da carqueja. Depois de levantar fervura, retificam-se os temperos.

Quando o arroz estiver cozido decora-se com o restante chouriço mouro cortado às rodelas e serve-se de imediato

Minha nota 1: Para pratos de carne ou de peixe por norma costumo usar uma porção de aprox. 300gr. por pessoa, no entanto as quantidades dependem sempre do numero de pessoas e do tipo de prato

Minha nota 2: Quando o entrecosto ficou bem cozinhado (por aqui demorou apx. 1h), separei do molho que havia no tacho, usei apenas duas colheres para dar sabor quando cozinhei o arroz. Muito embora a infusão de carqueja ajude a reduzir a intensidade do sabor do entrecosto o facto de ter retirado o molho ajudou a reduzir ainda mais um pouco bem como a quantidade de gordura.

Minha nota 3: Usei um tacho de barro, sem duvida que fica muito mais saboroso.

Minha nota 4:    BOTÂNICA/Carqueja(Pterospartum tridentatum)  planta silvestre, desprovida de folhas, pertencente à estirpe das Leguminosas, que surge espontaneamente em Portugal.

 

Tenho fé e acredito que iremos continuar a aplicar estas nossas escapadinhas, a deste ano foi cumprida (ainda sem bicho), as próximas não estão descartadas apenas em stand by, até porque preciso de renovar o meu livro de receitas ;)

E é assim mesmo!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


Mais sobre mim

foto do autor


Preserverança

" Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir. Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas. Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo. " Ana Jacomo

Direitos de autor

* Todas as fotos/imagens que tenham "todososdias" são minhas. Todas as outras, são retiradas da internet e estão aqui porque aparentemente são públicas. * Qualquer correção na citação da autoria (imagens ou mensagens) é só entrar em contato para eu poder corrigir.


Dias antigos

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D