Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Resumir agosto ☀

todosdias, em 31.08.22

salgados2.jpg

Acordar com dias de Verão a sério é outra vida, dias sem horas para nada. O Sul, o calor, o sol imenso e o céu azul fazem de mim uma pessoa melhor. Do mar e do sal na pele, das sestas durante a tarde e das muitas leituras (@edasgaivotasaacompanhar), dos jogos e dos risos, dos gelados e dos petiscos, do muito que somos quando estamos juntos, das coisas pequenas que são tão boas.

Outra inspiração, outra motivação, outra energia e outra perspetiva do que ando aqui a fazer. Regressámos mais otimistas, mais leves, mais arejados, mais desempoeirados e de pazes feitas com a vida. Mesmo quando nem tudo é bom, nem todas as notícias animadoras, nem todos os planos se cumprem, nem todos os objetivos se alcançam, nem todas as pessoas são boas e nem todas as coisas encaixam na visão mais positiva que temos da vida.

Era suposto ser o plano 'B' do nosso agosto, no entanto, à ultima da hora a vida encarregou-se de nos brindar com mais dias no nosso Sul, mas ainda houve tempo para o plano 'A' com 'saltinho' até à aldeia onde o tempo também pára, onde desconectamos...E depois...depois enchemos o peito de ar. Com a força maior do amor que nos une, grata à vida todos os dias. E é assim mesmo!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Um lugar de paz 🌳🏡🌳

todosdias, em 29.09.16

tree.jpg

 

"todososdias" 

 

Festejámos os anos da minha irmã na aldeia, no "nosso" cantinho onde recuperamos energias, onde ganhamos inspiração e atitude positiva para encarar cada dia. São fins-de-semana onde cabe tudo e aproveitamos o melhor de tudo: estar, cuidar, abraçar e agradecer.

É certo que é impossível estar parado por ali, o protejo de recuperar a cozinha ainda vai a meio, mas também não temos pressa. Não importa o tempo, mas o valor que damos a cada canto que vamos recuperando com as nossas mãos. Esta é sem duvida a maior prova de que sem nada podemos fazer tudo, basta querer. A força maior é a vontade de fazer acontecer.

Desta vez andámos pelo quintal, aproxima-se o outono e algumas coisas têm que ficar arranjadas antes que as chuvas não nos permitam andar por ali. Certo e sabido o meu amor por plantas e terra, aquele é um espaço que se eu pudesse "voava". Não temos, nem podemos fazer muito por ali, apenas nos limitamos a limpar e cuidar porque é a frente do "nosso" cantinho.

Desde a primavera que temos voltado todos os meses, inclusivamente em Julho e Agosto voltámos mais que uma vez, foi um compromisso que assumi comigo própria, e que nem sempre é fácil porque a vida aqui e ali vai me colocando alguns obstáculos.

Regressamos a casa sempre muito cansados mas de coração cheio. Confio nos caminhos que a vida nos leva e sempre grata pelos lugares que nos fazem bem. Bora lá voltar!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


coisas bonitas do fim-de-semana ♥

todosdias, em 26.04.16

paiol_serra montejunto.jpg

Apesar de algumas indecisões por causa dos testes que estão quase a começar, lá conseguimos arrumar as trouxas  e regressámos à aldeia.

O sol brindou-nos estes dias, sinónimo de mesa ao ar livre e refeições em saudáveis. O silêncio é absolutamente regenerador e o ar do campo é um reconforto que não tem preço. O resto do mundo fica lá fora, desligamos tudo e os dias ficam mais leves.

Agora é a vez da cozinha, um espaço muito pequenino, muito estragado e muito mal aproveitado. Fazer tudo com calma até porque sabemos que as coisas feitas com a "prata da casa" demoram o seu tempo. Arrumar, desarrumar, (re)organizar, (re)construir e aos poucos a casinha da aldeia vai ficando um lugar onde apetece muito, muito voltar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


das mini-férias da Páscoa

todosdias, em 28.03.16

easter2.jpg

Já estávamos em "divida" com a aldeia desde Novembro e ficar por casa a dividirmos-nos em refeições de família, a saltar de casa em casa, estava fora de questão. 

 

Voltámos à aldeia para celebrarmos a nossa Páscoa, longe da calma do ano passado porque desta vez éramos muitos, porque foram "mini-dias" e a primavera ainda não nos brindou com dias soalheiros. 

 

Voltámos a abrir a casa, muito embora o inverno não tenha sido muito rigoroso e as melhorias que temos feito muito contribuíram para o bom estado em que se encontrava, tem sido sempre uma preocupação minha prioritária. Aproveitámos o sol a espreitar por entre pingos de chuva para caiarmos as paredes da casa, não ficou perfeito mas o branco do pó mágico deixou a nossa casinha a brilhar. Aproveitámos a chuva para dedicarmos o tempo a organizar e a planear as próximas obras, materiais comprados antecipando as próximas mini-férias já em Abril.

 

Mas principalmente aproveitámos o melhor de tudo: estar, cuidar, abraçar e agradecer o tempo que o tempo nos dá para parar e valorizar o melhor que temos na vida: as nossas pessoas.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


(re)começar Abril

todosdias, em 07.04.15

pascoa.jpg 

Há alturas em que parece mais fácil, outras é mesmo difícil. Março foi um mês realmente difícil, muitas voltas, muitas interrogações, muitas dores, muitas angustias, muitos planos que se alteraram. Mas mesmo que o mundo pareça estar a conspirar contra nós, uma coisa é certa por aqui nunca se baixa os braços. 
Apesar de as malas terem ficado á porta por dois dias, conseguimos voltar à aldeia. Porque confiámos, persistimos e acreditámos que coisas boas acontecem. Foram sete dias longe de tudo e de todos, só os passarinhos e o vento a sacudir as folhas das arvores por companhia. Abrimos a casa, cortamos o mato, agarrámos a terra com as duas mãos, pintámos, começámos as obras do chuveiro, trabalhámos até à exaustão e limpámos o coração e a alma. As roseiras e as hortenses que plantamos em Novembro brindaram-nos com os seus primeiros rebentos, desta vez tratámos de alguns ramos velhos das laranjeiras e colocámos alfazemas. O tempo parou, sem horas, sem rotinas, ao ritmo dos dias. Acordar sem despertador, fazer refeições quando apetecia, serões a três. Repouso absoluto aos pensamentos, angustias e ansiedades que nos permitiu ouvir o nosso coração e fazer as pazes com a vida.
Dos caminhos que temos que enfrentar, alterar e modificar. Somos mais fortes e optimistas do que pensamos e não somos nós que vamos complicar. Ultrapassamos obstáculos difíceis mas não desistimos porque mantemos a esperança e a fé que depois da tempestade chega sempre a bonança, e porque acreditamos que a vida mesmo que nos troque as voltas vale sempre a pena.
Celebrámos assim a nossa Páscoa, calma e serenamente, tempo de renovar, marcado pelo ritmo da natureza e confiando que somos capazes de viver da melhor forma possível a sua mais profunda mensagem. Vamos voltar, ó se vamos.
 

Regressámos a casa já em Abril.

(re)começar Abril com sol, paz e todo o amor que nos rodeia.

Grata por esta nossa teimosia em querermos ser felizes todos os dias!

Autoria e outros dados (tags, etc)


voltar à «aldeia»

todosdias, em 27.03.15

aldeia1.jpg

Vamos voltar. Sei que estamos os três a precisar de respirar mais, encher o peito de ar, sentir a terra e renovar a fé em tudo o que somos. Sem regras, nem pressas, que é como acreditamos que a felicidade das coisas pequenas sabe melhor. É tempo de respirar...e amar acima de tudo!

 

Por isso, os próximos dias vão correr bem. Só podem correr bem. E é assim mesmo!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Preserverança

" Jogo a minha rede no mar da vida e às vezes, quando a recolho, descubro que ela retorna vazia. Não há como não me entristecer e não há como desistir. Deixo a lágrima correr, vinda das ondas que me renovam, por dentro, em silêncio: dor que não verte, envenena. O coração marejado, arrumo, como posso, os meus sentimentos. Passo a limpo os meus sonhos. Ajeito, da melhor forma que sei, a força que me move. Guardo a minha rede e deixo o dia dormir. Com toda a tristeza pelas redes que voltam vazias, sou corajosa o bastante para não me acostumar com essa ideia. Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede. Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas. Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar. E eu estarei lá na beira da praia de novo. " Ana Jacomo

Direitos de autor

* Todas as fotos/imagens que tenham "todososdias" são minhas. Todas as outras, são retiradas da internet e estão aqui porque aparentemente são públicas. * Qualquer correção na citação da autoria (imagens ou mensagens) é só entrar em contato para eu poder corrigir.


Dias antigos

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D